Pular para o conteúdo
Voltar

Escola Técnica Estadual de Cáceres terá foco no fortalecimento das relações com a Bolívia

As aulas terão início no segundo semestre, e devem priorizar o atendimento de demandas como comércio exterior, serviço aduaneiro, língua espanhola, entre outros cursos
Naiara Martins | Seciteci-MT

Outras ações ligadas à popularização da ciência, tecnologia e inovação também serão desenvolvidas em parceria com o município de Cáceres. - Foto por: MICHEL ALVIM/SECOM-MT
Outras ações ligadas à popularização da ciência, tecnologia e inovação também serão desenvolvidas em parceria com o município de Cáceres.
A | A

O Governo de Mato Grosso pretende, por meio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Seciteci), fortalecer as relações entre Cáceres (MT) e San Matías (Bolívia), com a oferta de ensino direcionada às necessidades locais, através da nova Escola Técnica Estadual de Cáceres, inaugurada no mês de março.

Com processo seletivo para contratação de professores a ser lançado em breve, o início das aulas está previsto para o segundo semestre deste ano, quando, inicialmente, serão ofertados os cursos técnicos de Guia de Turismo e Recursos Humanos, com duração média de dois anos. 

A escolha dos cursos foi discutida entre o secretário da Seciteci, Maurício Munhoz, a superintendente de Educação Profissional e Superior (Seciteci), Pollyana Peron, e o secretário Especial de Assuntos Estratégicos de Cáceres, Cláudio Henrique Donatoni, em reunião na última segunda-feira (18.04).

Segundo Munhoz, além dos cursos já definidos, a Secretaria fará um trabalho paralelo de consulta à sociedade para a identificação e atendimento de demandas específicas. A meta é ouvir os segmentos organizados, como o comércio, a indústria, o setor de serviços e outros segmentos envolvidos diretamente na abertura de postos de trabalho. 

“A sociedade de Cáceres aguardou por mais de 10 anos pela conclusão da escola técnica, e agora temos que corresponder às expectativas, ofertando a melhor grade possível de cursos. E mais: cursos que correspondam à demanda real do município", pontuou o secretário Maurício Munhoz.

"A ETE de Cáceres tem um apelo diferenciado, exatamente pela condição que o município ocupa enquanto fronteira seca, e pela forte relação comercial mantida com a Bolívia. Tudo isso está sendo ponderado pela nossa equipe para construir a melhor grade possível de cursos. Vamos surpreender a sociedade de Cáceres e tentar, ao máximo, amenizar o atraso de mais de 10 anos na oferta de qualificação”, concluiu.

Além dos cursos técnicos, a ETE também vai ofertar os chamados FICs, cursos de Formação Inicial e Continuada, de menor duração e de rápida absorção pelo mercado de trabalho. 

Relação Brasil-Bolívia

Desde 2019, as cidades mato-grossense e boliviana são consideradas cidades-gêmeas pelo Governo Federal, por estarem localizadas na mesma linha de fronteira seca, e integradas por um grande potencial de relação econômica e cultural. Com isso, os municípios mantêm entre si uma espécie de zona de livre comércio, estimulando a expansão na compra e venda de produtos, bem como na oferta de vagas de emprego e contratação de mãos de obra entre os países.