Pular para o conteúdo
Voltar

Seciteci promove o fortalecimento da agricultura familiar sustentável por meio de projeto inovador

O Gaia tem como objetivo propiciar a melhoria do processo de gestão para comercialização dos gêneros agroecológicos produzidos por agricultores familiares
Camila Paulino | Seciteci

Equipe do projeto Gaia no Campo - Foto por: Assessoria do Gaia
Equipe do projeto Gaia no Campo
A | A

A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Seciteci), por meio da Escola Técnica Estadual (ETE) de Sinop (localizada a 500 km de Cuiabá), promove ações de apoio ao pequeno produtor, em conjunto com outros parceiros, que englobam o Projeto Gaia (Rede de Cooperação para a Sustentabilidade).

O Gaia tem como objetivo propiciar a melhoria do processo de gestão para comercialização dos gêneros agroecológicos produzidos por agricultores familiares. Os professores da ETE ofertam conhecimentos em áreas como administração, agronomia, agroecologia e agricultura. Eles realizam pesquisas sobre agroecologia em Sinop e agricultura familiar no município de Claúdia.

O professor da ETE, Sérgio Gaspar, que é um dos integrantes do Projeto Gaia, explica que a ação se tornou possível por meio de iniciativa em conjunto de integrantes de diferentes Instituições públicas, privadas e de profissionais autônomos.

“Desde 2019, este grupo vem realizando ações visando o fortalecimento de uma Rede de Cooperação para a produção, a comercialização e o consumo de alimentos saudáveis, orgânicos e/ou agroecológicos, produzidos por agricultores familiares rurais, urbanos e periurbanos de Sinop e região”, disse.

Segundo o professor da ETE, Milton Mauad, que também integra a equipe do Gaia, o projeto auxilia em todo ciclo de produção, que vai desde a cadeia produtiva, até a sensibilização dos consumidores para a compra dos produtos.

“Com esforços em conjunto, estamos ensinando e apoiando os pequenos produtores, e, desta forma, entendemos que a educação profissional tem papel fundamental nesse processo, possibilitando que os estudantes experimentem novas formas de se relacionar com o trabalho e as novas formas de produção e consumo que vem sendo demandadas no últimos anos”, falou.

De acordo com a coordenadora do Gaia, Rafaella Arantes, o projeto é fundamental para disseminar a ecologia pra produtores e pessoas que querem produzir, com baixo custo, de forma sustentável e ainda fomentar a venda.

“A ideia é construir um ecossistema sustentável na nossa região, contemplando desde a produção até a comercialização. Pretendemos estabelecer e fortalecer a rede de cooperação, inserindo mulheres no mercado, para que elas também tenham oportunidades e uma fonte de renda. O foco é promover a melhoria da qualidade de vida no campo e na cidade”, disse a coordenadora do Gaia.

O projeto Gaia também conta com o apoio de outras instituições, como a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), a Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Empraba).

O trabalho executado de forma coletiva visa colaborar com a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU). A Agenda 2030 contempla 17 objetivos integrados e indivisíveis, que equilibram as três dimensões do desenvolvimento sustentável: a econômica, a social e a ambiental.

O foco do Projeto, tem como objetivo: Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável, com a implementação de sistemas sustentáveis de produção de alimentos, de práticas agrícolas resilientes que aumentem a produtividade e a produção, que ajudem a manter os ecossistemas, que fortaleçam a capacidade de adaptação às mudanças climáticas, às condições meteorológicas extremas, secas, inundações e outros desastres, e que melhorem progressivamente a qualidade da terra e do solo.





Editorias