Pular para o conteúdo
Voltar

Mato-grossenses têm até o dia 18 de dezembro para participar de consulta pública sobre inovação

Documento norteará ações do governo federal na área por 10 anos
Soraya Medeiros | Seciteci

Encontro Regional do MCTIC para tratar da Política Nacional de Inovação - Foto por: Soraya Medeiros
Encontro Regional do MCTIC para tratar da Política Nacional de Inovação
A | A

A população tem até o dia 18 de dezembro para participar da consulta pública do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) referente à proposta da Política Nacional de Inovação. A contribuição orientará o planejamento das iniciativas de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) no país para os próximos 10 anos.

O secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação, Nilton Borgato, ressalta a importância da participação dos mato-grossenses. “A política nacional de inovação será formulada a partir dessa consulta pública, ou seja, se nós não participarmos, outros estados decidirão por nós. Por isso, invoco a participação dos cidadãos, em especial dos representantes das instituições públicas e privadas para se envolverem nesse tema tão essencial para o nosso desenvolvimento”, disse ele.

Para divulgar a iniciativa do governo federal, a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Seciteci) realizou, nesta semana, um encontro regional com a participação de representantes da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Federação das Indústrias do Estado (Fiemt), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-MT), Escola de Governo, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), MT NanoAgro, Block Meat, Unemat, além de representantes do governo do estado.

“O MCTIC listou uma série de desafios pra o setor. O primeiro são os atuais níveis de inovação relativamente baixos, já que as empresas brasileiras inovam pouco comparadas aos padrões internacionais. Outro problema apontado é a falta de coordenação entre instituições, especialmente entre a produção de conhecimento em universidades e sua aplicação em empresas”, informou a superintendente de Desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação da Seciteci, Lectícia Figueiredo.

Além disso, existe limitação de financiamento na área, em geral concentrado nas instituições públicas, ao contrário de países mais ricos, aonde os aportes vêm majoritariamente do setor privado. O secretário reforçou que para o Brasil se desenvolver tecnologicamente é necessária a execução de uma série de ações e, entre elas, está justamente a definição de uma política nacional de inovação. “Isso conduzirá nosso país a outro patamar, essa é a grande oportunidade de participarmos desse processo estratégico, decisório e de longo prazo”, informa ele. 

As contribuições devem ser realizadas diretamente no site do MCTIC e poderão ser preenchidas ou revisadas até o dia 18 deste mês. A consulta pública é composta por um questionário com oito perguntas e pode ser acessada por meio do site: https://ibrasil.mctic.gov.br/consulta





Editorias