Pular para o conteúdo
Voltar

Visitantes vivenciam experiências inovadoras durante a 16º Semana Nacional

Evento realizado em Mato Grosso ocorreu simultaneamente em todo país
Soraya Medeiros | Seciteci-MT

Mais de 15 mil pessoas visitaram a Semana Nacional - Foto por: Soraya Medeiros
Mais de 15 mil pessoas visitaram a Semana Nacional
A | A

Disseminar conhecimento e proporcionar experiências inovadoras à comunidade escolar. Esses foram os principais resultados obtidos durante os três dias da ‘16º Semana Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação’, em Mato Grosso. Realizado simultaneamente em todo o país, o evento foi promovido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Seciteci).

Milhares de alunos e professores tiveram a oportunidade de acompanhar experimentos e inovações que não são comuns em seu dia a dia.

“O evento é um espaço valioso para que os participantes vivenciem o mundo da ciência, da tecnologia e da inovação, que trazem descobertas constantes em todas as áreas. Na prática, o aprendizado é mais efetivo e isso muda todo o contexto escolar”, ressaltou o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Nilton Borgato.  

A estudante do 8º ano da Educação de Jovens e Adultos (EJA), Gabriela Martins, de 52 anos, visitou a Semana Nacional pela primeira vez. Para ela, foi uma experiência diferente, que a estimulou a buscar mais conhecimento.

“Voltei a estudar há um ano e meio e participar do evento foi importante porque aprendemos muitas coisas interessantes, desde experiência que envolvem a física e a matemática até projetos sustentáveis apresentados por alunos”, destacou.

Um dos projetos foi apresentado pela estudante da Escola Técnica de Tangará da Serra, Ligia Apodonepá, que destacou o babaçu como alternativa de complementação de renda.

"Esse fruto é completamente sustentável, desde as folhas da palmeira até a casca do coco, que, devidamente preparada, fornece um eficiente carvão, fonte exclusiva de combustível. Isso é uma nova perspectiva de vida, inclusive, para os jovens, que até então não possuem muitas alternativas de trabalho na região", pontuou.

Outra apresentação que despertou a curiosidade durante a Semana, foi o Laboratório de Eletrônica e Sistemas Embarcados (LabEse) da Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat), do campus de Alto Araguaia. Os estudantes do Ensino Fundamental e Médio se divertiram com os materiais de eletrônica expostos no estande, entre eles, o cubo led, Floppy Music V2, construído com drives de disquete, holograma 3D e painel flexível de led.

O professor responsável pelo laboratório, Fernando Yoiti Obana explicou que o LabEse tem em sua origem a reciclagem de materiais eletrônicos e que todos os experimentos desenvolvidos por eles tem em sua composição materiais reciclados.

“É uma troca de conhecimento, porque mostramos também o nosso trabalho por meio do empenho dos nossos acadêmicos. O evento estimula ainda mais a participação deles nos trabalhos”.

A superintendente de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, Lecticia Figueiredo, explicou que a ideia é criar uma linguagem acessível à população, por meio de atividades inovadoras, despertando a curiosidade e muitas vezes futuras vocações para crianças e adolescentes.  

Desenvolvida pela estudante Lana de Lima e orientada pela professora Francine Florentino, as receitas de bolo da casca de banana e brigadeiro de biomassa de banana foram receitas que chamaram a atenção, tanto pelo sabor quanto pela questão nutritiva. O bolo de banana é uma proposta de reaproveitamento da fruta em sua totalidade, produzidos com a casca da banana. Já os brigadeiros são feitos com a biomassa da banana sem açúcar.

"Acredito que conseguimos passar a mensagem no evento de aproveitar o alimento como um todo. Nossa preocupação é de oferecer uma alimentação rica em nutrientes e com bela apresentação", explicou, entusiasmada.

Projetos

As experiências vividas pelos alunos tiveram um saldo positivo de 55 projetos inscritos para a mostra. No entanto, 40 projetos foram selecionados para serem expostos durante a Semana Nacional. Este ano, os seis primeiros projetos ganharam notebooks e tablets. Além disso, 12 alunos foram selecionados para ganhar uma bolsa de Iniciação Científica Junior, financiada pela Fapemat.

O projeto que teve a maior pontuação na mostra ganhou um intercâmbio para os Estados Unidos, financiado pelo Instituto Farmun. O projeto foi desenvolvido por um aluno da Escola Senai Distrito Cuiabá, com o tema "Suits - Agro Indústria Piscicultura".





Editorias