Pular para o conteúdo
Voltar

Servidores da Secitec participam de curso para aprender técnicas de oratória

Dominar técnicas de oratória ajuda na hora de lidar com o público
Soraya Medeiros | Secitec

O encontro foi dinâmico, instrutivo e divertido! - Foto por: Lecticia Figueiredo
O encontro foi dinâmico, instrutivo e divertido!
A | A

Nesta quarta-feira (03.04), oito monitores e três servidores da equipe técnica da Carreta MT Ciências, da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Seciteci), participaram de um ‘Workshop de Comunicação e Oratória’, ministrado pelo jornalista e cerimonialista, Júnior Cuiabano.

O principal objetivo do curso foi o de aprimorar e aumentar a capacidade da comunicação oral dos monitores, fortalecendo a autoestima e aprimorando a capacidade de comunicar-se em público com eficácia. Foram dadas ficas e ensinadas técnicas e exercícios de dicção, voz e oratória.

Júnior Cuiabano explicou que a entonação da voz, a expressão e os gestos utilizados na hora de falar deixam a mensagem mais clara. “É possível aprender as técnicas para falar em público. Esses aprendizados ajudam no autoconhecimento, no relacionamento e a se conectar melhor com as pessoas”, destacou.

A coordenadora de logística do MT Ciências, Fernanda Paiva, avaliou que o Workshop foi dinâmico e proveitoso. “Esses conhecimentos adquiridos auxiliarão todos os servidores na hora da apresentação para o público”.

Para a monitora, Marilene Passos o curso agregou muito no conhecimento da comunicação e como lidar com o nervosismo. “Foi ótima a forma que o palestrante nos ensinou. Além de visualizarmos as falhas na nossa comunicação, aprendemos também como lidar com o público”.

Entre as dicas repassadas por Junior Cuiabano estão: falar com firmeza, manter a coerência, prender a atenção e se preparar. “O orador deve saber sobre o que está falando. Para que isso ocorra, ele deve estudar o conteúdo. Existem técnicas de improviso, mas elas devem ser exceção”. As falas devem ter início meio e fim, fazendo ouvinte entender os argumentos.

Para prender a atenção, ele cita a possibilidade de usar uma história bem humorada, para criar empatia com os ouvintes. 





Editorias